Notas sobre o NAS D-Link DNS-320L

Luzes vermelhas nos discos rígidos ao ligar o NAS

Quando os discos estão em RAID-1 (espelhamento), após uma queda de energia, o DNS-320L repara o RAID. Este processo pode levar horas ou dias, dependendo do tamanho dos HDs e do nível de deterioração do RAID.

O sistema somente terá plenamente iniciado quando a interface web estiver em PT-BR. Neste momento, o acesso ao NAS através das pastas compartilhadas terá normalizado.

Antes da tradução da Interface, ao acessar o menu Management > System Status e clicar no menu Hard Disk Info, ele exibirá a mensagem No Hard Drive Found.

1

Além disso, na página inicial, em Storage Status, mostrará a mensagem “No Hard Disk found“.

2

Após a tradução da interface, o HD passa a ser reconhecido e é exibida a porcentagem sendo utilizada ao lado direito da tela em Status do Storage.

3

Switch/1000

Ao ligar o DNS-320L em um Switch Opticom de 1 Gbps, a porta Ethernet do NAS não funcionava. Testamos em 2 Switchs da marca e não funcionou. Por que isso acontece? Não sei. Mas colocando o NAS em um outro Switch barra 100 ele voltou a funcionar normalmente.

Firmwares Alternativos

O firmware do DNS-320L possuí limitações, como não ingressar em um domínio Active Directory para autenticar os usuários em uma rede corporativa (somente é possível autenticar usuários criados na interface do NAS). Esta limitação foi imposta pela própria D-Link, de forma a evitar que produtos voltados ao mercado doméstico fossem usados em ambientes corporativos (NAS que possuem autenticação com AD e iSCSI custam, em média, 2 mil reais, 4x o valor de um NAS doméstico).

Infelizmente, a limitação de hardware impede a instalação do FreeNAS, que requer ao menos 4GB de RAM. Por padrão, o DNS-320L executa a versão 6 do Debian em um processador ARM Marvell 88F6702 de 1 GHz e possuí 256 MB de RAM.

Mas a comunidade não se deu por vencida, e buscando aprimorar as funcionalidades de dispositivos domésticos NAS da D-Link, desenvolveram firmware alternativos, como o ALT + F. Como o sistema operacional da D-Link é baseado em Debian, eles tiveram de liberar o código-fonte do NAS, o que permitiu a comunidade adaptar e melhorar o firmware de fábrica da D-Link.

O ALT + F ainda está em estado inicial de desenvolvimento, mas adiciona funcionalidades interessantes ao DNS-320L e outros modelos domésticos de NAS da D-Link, como servidor DHCP, NFS e NTP. Possuí ainda suporte nativo a criação de RAID e manutenção dos mesmos, assim como interface de administração Web (SWAT) para o Samba. Infelizmente, o Samba possuí a mesma limitação do firmware da D-Link: não possuí suporte a autenticação via AD.

A principal dificuldade do time de desenvolvimento do ALT + F é a memória Flash disponível para o sistema: somente 128 MB. Adicionar funcionalidades significa muitas vezes limitar ou remover outras.